Notícias

Greve dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem ganha apoio de entidades sindicais e de deputados

Deflagrada desde o último dia 30 de janeiro, a categoria tem feito diversos atos  públicos na Região Metropolitana e no interior
Após a deflagração da greve dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem da rede estadual, que ocorreu no último dia 30 de janeiro, o movimento tem crescido na Região Metropolitana e no interior, além de ter recebido apoio de entidades sindicais e de parlamentares. A paralisação, realizada pelo Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Pernambuco(SATENPE), é uma resposta à omissão do Governo de Pernambuco em dar uma resposta às reivindicações da categoria, enviadas desde o ano passado.

A isonomia salarial está entre as reivindicações, pois, os trabalhadores contam com três faixas de remuneração e salário-base de R$ 774, menor que o salário mínimo. Além disso, também buscam melhores condições de trabalho. Diariamente, os trabalhadores estão realizando ato público na Avenida Agamenon Magalhães, área central do Recife, próximo ao Hospital da Restauração. O objetivo é chamar a atenção da sociedade quanto aos descasos da saúde pública que afetam os trabalhadores e usuários. O movimento que, está crescendo a cada dia, está sendo noticiado nos principais veículos de comunicação do Estado.

A CUT-PE convocou as entidades sindicais para se solidarizarem com a enfermagem de nível médio e convida a participarem das atividades.  “A luta da categoria é por melhorias nos salários e nas condições de trabalho. Por isso, convocamos as entidades filiadas à CUT que apoiem esta luta”, escreveu. O vice-presidente do Sindicato dos Petroleiros PE/PB, Luiz Lourenzon, também demonstrou seu apoio à greve.

Na Assembleia Legislativa de Pernambuco, a representante do mandato coletivo Juntas (PSOL), a deputada Jô Cavalcanti foi à tribuna, na Reunião Plenária, nesta terça (04/02),  defender o pleito dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem. O deputado Doriel Barros, também se solidarizou com os trabalhadores da enfermagem de nível médio e espera que o Governo do Estado tenha uma diálogo com a categoria, e assim avançar nas negociações.

voltar